quarta-feira, 20 de junho de 2012

O FREVO

     O frevo apareceu em Pernambuco entre 1910 e 1911 como um novo ritmo carnavalesco. Sofreu influência direta da capoeira: o passo (dança do frevo) foi originada por capoeristas, que, para intimidar outras troças (orquestras carnavalescas), faziam movimentos exóticos. Com o tempo, esses movimentos se uniram a música e deu-se início ao frevo. Além disso, os capoeristas utilizavam cabos de guarda-chuvas com arma contra grupos rivais.

 

     Esta é uma dança que possui ritmo acelerado e passos bem complicados, como o uso de: gingados, malabarismos, rodopios, passinhos miúdos e muitos outros passos. Suas músicas, na grande maioria, não possuem letras, sendo tocadas por uma banda que segue atrás dos trios. Os dançarinos de frevo possuem muita técnica, mas o que realmente impressiona é a improvisação. Para caracterização, geralmente a vestimenta é de uso cotidiano, sendo a camisa mais curta que o comum e justa ou amarrada à altura da cintura, a calça também de algodão fino, colada ao corpo, variando seu tamanho entre abaixo do joelho e acima do tornozelo, toda a roupa com predominância de cores fortes e estampada. A vestimenta feminina se diferencia pelo uso de um short sumário, com adornos que dele pendem ou mini-saias, que dão maior destaque no momento de dançar. Além disso, utilizam uma sobrinha aberta.

     Em 1951, o Clube Carnavalesco Misto Vassourinhas do Recife fez uma excursão no Rio de Janeiro. O sucesso foi tanto que o ritmo pegou e invadiu o carnaval da cidade maravilhosa. Dias depois, ao aportar em Salvador, cidade bucólica que ainda via os carnavais com as famílias povoando de cadeiras as calçadas da Avenida Sete de Setembro, o Clube Vassourinhas foi convidado a fazer uma apresentação nas ruas da capital baiana. Tudo sob o acompanhamento daquela fanfarra de 65 músicos, o maior conjunto de metais já visto na Bahia até então. Com seus metais em brasa, a banda militar estava ali pondo fogo nas ruas da capital baiana e fazendo a história da música popular brasileira. Ao ingressar na Avenida Sete, ao som de sua Marcha nº. 1, composta em 1909 por Joana Batista e Matias da Rocha e conhecida nacionalmente como o Frevo dos Vassourinhas, a turba que acompanhava o clube tomou-se de delírio. Assim começa a história do frevo na Bahia.






2 comentários:

  1. legal essa dança eu aprendi muito e o guardachuvinha ai e muito engraçado

    ResponderExcluir
  2. muito daora as pessoas dançando com os guarda-chuvinhas na mão,muito legal !!!!!.Kkkk

    ResponderExcluir